domingo, 28 de junho de 2009

O que sinto!


"O meu mundo não é como o dos outros,

quero demais, exijo demais;

há em mim uma sede de infinito,

uma angústia constante que eu nem mesma compreendo,

pois estou longe de ser uma pessoa;

sou antes uma exaltada,

com uma alma intensa,

violenta, atormentada,

uma alma que não se sente bem onde está,

que tem saudade;

sei lá de quê!"

(Florbela Espanca)

Um comentário:

  1. Amei seu blog!

    em mim, tbm há "uma sede de infinito"...

    belo poema!

    ResponderExcluir